sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Aprendizado

Com o tempo tu vais percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa,
tu precisas, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebes também que aquela pessoa que amas (ou acha que amas)
e que não quer nada contigo, definitivamente,
não é o homem ou mulher da tua vida.
Aprendes a gostar de ti, a cuidar de ti e,
principalmente, a gostar de quem também gosta de ti.
O segredo é não correr atrás das borboletas...
É cuidar do jardim para que elas venham até nós.
No final das contas, vais achar não quem procuravas,
mas sim quem estava procurando por ti...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Seguindo um exemplo

Acompanhando um dos meus blogs favoritos, lá estavam estas dicas de produção de texto do Prof. João Pedro da UNICAMP -. Já as vi outras vezes nas minhas navegações pela Internet.
Amei, encontrá-las novamente. Creio que todo blog deveria ter algumas dicas básicas como estas.
Inclusive, baseada nestas regras euzinha bem que ando pecando bastante.

Também que as pessoas independente de escreverem para si ou demais, procurassem no minímo não cometer aberrações ortográficas como fazem-no -e olha que é assunto para um post inteiro-, pois as de sintaxe como concordância ou regência por vezes já passa batido mesmo.

1. Deve evitar ao máx. a utiliz. de abrev., etc.

2. É desnecessário fazer-se empregar de um estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de esmero excessivo que raia o exibicionismo narcisístico.
3. Anule aliterações altamente abusivas.
4. não esqueça as maiúsculas no início das frases.
5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.
6. O uso de parêntesis (mesmo quando for relevante) é desnecessário.
7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.
8. Evite o emprego de gíria, mesmo que pareça nice, sacou??… então valeu!
9. Palavras de baixo calão, podem transformar o seu texto numa merda.
10. Nunca generalize: generalizar é um erro em todas as situações.
11. Evite repetir a mesma palavra pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.
12. Não abuse das citações. Como costuma dizer um amigo meu: “Quem cita os outros não tem idéias próprias”.
13. Frases incompletas podem causar
14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez, ou por outras palavras, não repita a mesma idéia várias vezes.
15. Seja mais ou menos específico.
16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!
17. A voz passiva deve ser evitada.
18. Utilize a pontuação corretamente o ponto e a vírgula pois a frase poderá ficar sem sentido especialmente será que ninguém mais sabe utilizar o ponto de interrogação
19. Quem precisa de perguntas retóricas?
20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.
21. Exagerar é cem milhões de vezes pior do que a moderação.
22. Evite mesóclises. Repita comigo: “mesóclises: evitá-las-ei!”
23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.
24. Não abuse das exclamações! Nunca!!! O seu texto fica horrível!!!!!
25. Evite frases exageradamente longas pois estas dificultam a compreensão da idéia nelas contida e, por conterem mais que uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçam, desta forma, o pobre leitor a separá-la nos seus diversos componentes de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.
26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língúa portuguêza.
27. Seja incisivo e coerente, ou não.
28. Não fique escrevendo (nem falando) no gerúndio. Você vai estar deixando seu texto pobre e estar causando ambigüidade, com certeza você vai estar deixando o conteúdo esquisito, vai estar ficando com a sensação de que as coisas ainda estão acontecendo. E como você vai estar lendo este texto, tenho certeza que você vai estar prestando atenção e vai estar repassando aos seus amigos, que vão estar entendendo e vão estar pensando em não estar falando desta maneira irritante.
29. Outra barbaridade que tu deves evitar chê, é usar muitas expressões que acabem por denunciar a região onde tu moras, carajo!… nada de mandar esse trem… vixi… entendeu bichinho?
30. Não permita que seu texto acabe por rimar, porque senão ninguém irá agüentar já que é insuportável o mesmo final escutar, o tempo todo sem parar.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Do neolítico ao andróide paranóide

Como uma sarna, a depressão está por todo lado: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 2020 ela passará da 4ª para a 2ª colocada entre as principais causas de incapacidade para o trabalho no mundo. No ambiente de serviço, a depressão pode se manifestar com queda da produtividade, desinteresse para aprender novas tarefas e isolamento social. Algumas pessoas podem direcionar os sintomas para um espectro de irritabilidade: muitas vezes, o famoso "pavio curto" não é um sujeito nervosinho ou estressado, mas apenas mais um deprimido.

Balela
No combate à depressão, muito tem sido dito sobre o papel das empresas como promotoras da saúde de seus funcionários. Quanta balela. Não é um papel da empresa zelar pelo bem estar do funcionário. O papel da empresa é espremer do funcionário o lucro que puder, pelo tempo que conseguir.
Existem 6 bilhões de pessoas no planeta. Alguém irá substituir você quando sua produção não compensar seu salário. É um mundo capitalista e não venha me dizer que você não sabia disso até hoje.

Sua vida
Por outro lado, o SEU papel como indivíduo que pensa (vamos acreditar nesta premissa, ela é importante para concluir o raciocínio) é procurar SUA qualidade de vida. E isso pode envolver ficar naquela empresa, emprego ou relacionamento - ou não. Você escolhe. Mas a partir do momento em que decidir colocar a liberdade desta escolha nas mãos de terceiros, não se surpreenda se os resultados não forem exatamente o que você estava buscando.
Quanto às previsões terroristas da OMS, não vejo dificuldade em enxergar as razões por trás da marcha avassaladora dos transtornos depressivos. Nossa espécie tem cerca de 300 mil anos. Durante séculos fomos nômades, caçadores e coletadoras. Mudávamos de residência a cada estação, vivíamos desafios diferentes a cada dia. Sempre uma nova presa, uma nova pescaria, um pedaço desconhecido do bosque para explorar e buscar novas frutas e novos caminhos para a sobrevivência.
Apenas de uns 100 séculos para cá dominamos a agricultura e abandonamos a existência nômade por excelência. Mas, de um ponto de vista proporcionalmente evolutivo, permanecemos filhos daqueles pré-neolíticos. A herança genética daquela natureza intrépida sobreviveu impregnada no núcleo de nossas células, após dezenas de milhares de gerações aventureiras.
Foi apenas no rápido intervalo iniciado há 3 séculos que demos início ao cotidiano como o conhecemos hoje. O bombardeio da revolução industrial encaixotou o espírito aventureiro, e o reflexo instintivo de luta ou fuga terminou restrito a uma cabine de telemarketing com uma tela de LCD numa ponta e uma cadeira ergonômica na outra. No meio, um exemplar de Homo sapiens capaz de muito, porém fazendo tão pouco.

DiscrepânciaÉ óbvio que a dissonância entre a magnitude do que poderíamos ser e a mediocridade do que aceitamos nos tornar só poderia resultar em problemas. E estes problemas surgiram na forma de um aumento dos casos de câncer, doenças auto-imunes, complicações cardiovasculares e alterações psiquiátricas de toda sorte. Criamos uma realidade que subverteu nossa natureza - e agora as promissórias estão vencendo.
Se pretendemos mudar as previsões da OMS para os transtornos depressivos, precisamos de uma revolução dos costumes, um ponto de ruptura lúcida como o que ocorreu no Renascimento, no Iluminismo e com os Baby Boomers, mais recentemente. É possível que esta revolução silenciosa já esteja em curso, patrocinada pelas idéias da Geração Y.

Marvin, o robôNa física, a simples presença do observador é capaz de alterar os resultados, e é provável que o mesmo ocorra com as estatísticas da OMS. Ao divulgar o gráfico de ascensão dos transtornos depressivos, o aumento da percepção pode levar a uma série de mudanças de atitudes, que por sua vez irão alterar completamente o panorama quando o futuro chegar.
Para quem não quiser passar o tempo vestindo a fantasia de Marvin (o sagaz robô anedônico do Guia dos Mochileiros das Galáxias), as próximas décadas prometem ser bem divertidas.

*Dr. Alessandro Loiola é médico, escritor e palestrante. Autor de, entre outros livros, "Para Além da Juventude - Guia para uma Maturidade Saudável" (Editora Leitura).

domingo, 25 de outubro de 2009

Que lindo!!

Quem sou?! Eu sou para cada pessoa aquilo que ela acha que eu sou,
mas o que para mim importa é o que eu estou a procura de ser e isso eu ainda não sou.
Amigos de verdade? Amigos de verdade não sei se tenho...
Acredito na amizade verdadeira...mas no momento ela me falta!
Sinto saudade do que acontecia...Conversas paralelas, discussões repentinas,
gargalhadas gostosas, abraços apertados, risos sem graça, choros desesperados...
Ah, meus amigos...Dizíamos frases feitas, mais no fundo eram mais que verdade...
Um simples: ”EU TE AMO” se tornava uma grande declaração...
Em momentos de desespero era deles, só deles o meu tempo...
Não tínhamos medo da má interpretação dos outros.
Para nós o que importa é o que sentiamos uns pelos outros...
Saudades de todos os olhares perdidos, porém encontrados por amigos de verdade.
Sei que com o tempo ficaremos perdidos entre si.
Quando nossos filhos perguntarem:-Quem são essas pessoas?
Com muita saudade, porém orgulho, responderei: -São meus velhos amigos!
Com o tempo o contato será mais difícil
No entanto, em pensamentos estaremos sempre perto!

sábado, 24 de outubro de 2009

Questão moral, depois social, por fim...

A maioria das pessoas somente enxerga a violência quando ela chega bem perto, quando é divulgada constantemente ou são atingidas diretamente por ela. Tornou-se uma questão além do social, pois dantes já era uma questão de moral. Quem possui este quesito não se corrompe facilmente, seja por fome ou miséria quanto mais por um par de tênis e uma jaqueta!! Começa deste achar graça com uma obscenidade da criancinha -que coitada, não tem culpa aprendeu com alguém-, a seguir ela vai por pedir coisas emprestadas e não devolve -a cobiça e a inveja já se instalando-, recebe orientação de “não levar desaforo pra casa”-senão apanha mais em casa- chega o tempo que seus desejos de consumo já ultrapassam moradia, alimentação, saúde e vestuário. Pronto, já está instalado o condicionamento capitalista com suas idéias de liberdade(what?), movimentando nada mais do consumismo desenfreado! Surge então esses elementos que para eles tudo justifica seus atos, seja para obter algo ou alguém… e quem estiver na frente é mero esterco.
(by Angel)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Mil desculpas, por favor!!

Certa feita, viajei para uma cidadezinha super agradável no alto da serra. Não conhecia meus anfitriões, mas isso nunca foi problema quando se tem boa vontade. Já inteiramente embriagada de muito verde e ar puro, cheguei cintilante ao meu destino.
Aiiii...mas, estava tudo tão bom!! Até... aquele bendito almoço de domingo! Na mesa dei de cara com iguarias de boa aparência e cheiro agradável. Agradável!? Stop...Tem um cheiro aqui que não estou acostumada!! Uai, meu Deus o que será mesmo? Então, indo ao ataque... fui logo as saladas, aquele arroz bem soltinho, aquele nosso feijão que não pode faltar, um pedaço de carne...humm, tudo tão "dôtoso"!! Mas tinha também uma penosa (galinha) cozida na mesa, que por sinal ainda não havia me servido. Meu desconfiômetro raras vezes me falha, benza Deus!! Garfada cá, garfada lá... e o povo me pergunta se eu não queria a penosa.
-Daqui a pouco.-respondo.
-É galinha à cabidela! Especialidade aqui da serra, toda casa dia de domingo por aqui tem galinha à cabidela.
Eu sabia!! Meu faro não me trai!!
Tentei inicialmente a desculpa que não gostava, mas não colou. Como poderia não gostar se nunca havia provado?
Agora danei-me de vez!!- pensei.
-Mil desculpas, por favor pessoal!! Mas não como nada que tenha sangue. -justifiquei-me.
Logo todos na mesa me fitaram como se eu fosse um E.T!! E lá se vai explicação: que vi furarem uma galinha quando eu tinha dez anos... que apararam o sangue -disseram-me ser para molho pardo- enquanto a coitadinha ainda estava viva...que a pobre estrebuchou até morrer pela hemorragia (dramática?! eu?! e não foi essa a causa mortis, uai?!) e depois fizeram o resto do serviço... depenaram, estriparam e escaldaram. No final das contas não comi aquele bicho na hora do almoço, mas ouvi minha mãe pedindo o tal "molho pardo". Quando vi aquilo chegar em um recipiente, arregacei logo a pergunta:
-Mãe, a senhora vai comer isso? É feito de sangue!!!!
-Sim, eu sei! É uma delícia!
Eu com minha boca pequena(sic) disse em tom bem audível -não tinha quase ninguém na mesa, sabe?! Férias. Dia na fazenda de um tio do papi, imagina só?!- que era pecado por isso e por aquilo, que estava escrito na Bíblia... quem comesse sangue ia para o inferno...
-Cala a boca, menina!!!! Quem te disse isso?? -fala meu pai, já "bege" de vergonha.
-O vovô, a vovó e a titia. - respondi na lata, cheia de segurança. Desnecessário dizer, que fiquei sem o restante do almoço e mais de castigo.

Voltando da viagem no tempo...

Depois de tudo explicado: primeiramente eu tinha escrúpulos, depois embora não seguisse nenhum credo religioso aquela história bíblica "de não tocar -comer- em sangue" tinha ficado arraigada na minha mente.
-Novamente mil desculpas, gente!
Ai...que alívio!! Tudo resolvido, embora soubesse que havia sido deselegante. Maaaaaas, não tanto como um digníssimo que teve o atrevimento de tascar um pedaço da dita cuja penosa no meu prato, alegando que comesse por que iria gostar.
Ah, como desejei ser uma Medusa ensandecida e petrificar aquele gentil rapaz!!
Afastei sutilmente sua oferta para a borda do prato e disfarçadamente, disse entre os dentes cerrados:
-EU NÃO GOSSSSSS-TO, TÁÁÁÁÁ!!!
Almoço enfim encerrado, com o pedaço da penosa lá onde coloquei.

Agora me diz onde tá escrito a lei universal que tenho que ser um clone?!
Que tenho que usar sabão em pó XMX?!
Que tenho que sambar por que sou brasileira?!
Que tenho que fritar igual bife mal passado na praia, por que moro no litoral?!
Que tenho que comer X, Y OU Z por que é bom?! Bom pra quem?!
O meu gosto não vale?! Sou o que então, que não posso ter opinião própria?!
Fui fabricada em uma linha de montagem?! Se fui, preciso de um recall faz tempo, óóó...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sim, ela continua entre nós.

Perguntaram-me ontem sobre a gripe suína (a dita pessoa como outros tantos, ainda não fixou que agora a gente diz: Influenza A). Se ela tinha parado de matar? Por que não falam mais no assunto?
-Infelizmente não!! respondi. É que há algum tempo a OMS resolveu parar a divulgação das estatísticas.
Então, hoje obtive esses dados fresquinhos e adiciono aqui. Eles são de domínio público, estão em um grande e respeitado veículo de informação. Mas, o povo não lê. Gosta mesmo é de ouvir e de preferência estatalado na horizontal ou o mais próximo disso. Se, caso houve alguma informação via telejornal muitos mudaram logo de canal. Já que à priori a maioria da população não dá bola para Nºs.; preferem algum texto mastigado, curto e dramático. Lembrando também que a bola da vez é outra, fazendo a Influenza A praticamente cair no esquecimento.

Por Maíra Teixeira, Agencia Estado, Atualizado: 19/10/2009 19:51
De abril a outubro, gripe suína mata 1.368 no País
Boletim do Ministério da Saúde, divulgado nesta noite, informou que mais 1.368 pessoas morreram após contraírem o vírus da gripe A H1N1 no Brasil, no período entre 25 de abril e 10 de outubro. O total de infectados foi de 17.219 pessoas, o que significa 90,7% do total de 18.973 de casos confirmados para algum tipo de influenza.
O Sudeste é a região com maior número de mortes, com 693 (49,6%). O Estado de São Paulo registra 392 óbitos (30,9%) e é seguido pelo Rio de Janeiro com 122 (8,7%), Minas Gerais com 107 (7,7%) e o Espírito Santo com apenas 2 mortes (0,1%).
A região sul teve 577, com 41,3% dos óbitos brasileiros. O Paraná registrou 278 mortes, o Rio Grande do Sul 200 e Santa Catarina 99. O Centro-Oeste teve 98 óbitos, seguido do Nordeste com 16 e a região norte, com 14.
Um total de 5.369 mulheres entre 15 a 49 anos desenvolveram a forma grave da doença. Destas, 1.414 mulheres estavam grávidas. Entre as gestantes, 135 morreram.
Com relação à resistência ao antiviral fosfato de oseltamivir, até 4 de outubro, foi informada à OMS a ocorrência de 31 casos - nenhum no Brasil, até o momento.

domingo, 18 de outubro de 2009

Mammy, a jeitosa


A mammy não era chegada a muito contato físico, tampouco palavras doces e coerentes. Cada pessoa tem seu jeito, né?
Dois dias após meu niver de 12 anos, chega meu red baptismal. Eu que havia mudado bem meu corpo e ainda assim brincava felicíssima de casinha, "ju-ro por De-us do céu" que não sabia o que era aquilo. Pause...
Momento neolítico: a única informação absurda que recebi sobre este assunto, foi que tinha ocorrido um acidente com minha mammy(tadinha, meu Deus!!) quando menina. Caíra sentada encima de uma bola de gude(hããã??) que entrou nela e desde então sempre sangrava. Desesperada eu perguntei: 
- Mãe, ainda não saiu??? (como eu era"anta"!!) e chorava embaixo da cama e atrás das portas, pensando que ia perder minha mãe, ser uma orfã !!

Liberando o pause...
Mostro para a mammy aquela manchinha que persistia em aparecer à três dias, ela olha e diz:
-Nada não, coloca para lavar, tome banho e vista outra.
Então, tá! Indo ao banho, ouço meu nome aos gritos. Corro, ela manda chamar meu irmão. Dá umas instruções e manda-o voltar rápido. Ordena-me que vá me banhar e não molhe a cabeça de maneira alguma.(meu coraçãozinho já pedia realmente passagem pela glote)
Me mostrou um negócio, ensinou a usar e ao terminar fosse conversar com ela. Nesse "auê" todo eu já estava com dor de barriga -ou pensei que fosse- que doía até em pisar no chão.
Mammy em pé foi bem didática:
-Olha, voce ficou moça (o que é isso mesmo, héin?) não tome sorvete, líquido gelado, não como nada que tenha abacaxi ou limão, não corra, não pule. Por que se voce fizer qualquer uma destas coisas, voce morre e vai para o INFEEEERNO, entendeu?? Pause...
Fiquei na dúvida apenas na parte do inferno!!
Liberando o pause...
Passei três dias rolando de dor na minha cama, apresentada aquela companheira mensal chamada cólica.
-Mãããe, tá doendo me dá um remédio!
Fui enfim a escola andando em câmera lenta. Óbvio, que todos queriam saber o motivo daquela lentidão. Euzinha, no ápice da inocência dizia: -Fiquei moça. Em questão de minutos da quadra à diretoria, todos ficaram sabendo e eu virei deboche na boca da turma cruel.
Maninha, voce não sabe a sorte que tem em ter-me como irmã mais velha e bem mais articulada que nossa mammy querida.
TE AAAAMO MAMMY...


Wild Horses (Rolling Stones), na voz de Susan Boyle


A infância é algo fácil de viver... As coisas que você queria eu trouxe pra você... Dama sem graça, você sabe quem eu sou... Você sabe que não posso deixar você deslizar pelas minhas mãos ...Cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora... Selvagens, cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora... Eu assisti você sofrer uma dor lancinante... Agora você decidiu me mostrar o mesmo... Nenhuma saída ligeira ou falas nos bastidores... Podem me fazer sentir amargurado ou lhe tratar com grosseria... Cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora... Selvagens, cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora... Eu sei que eu sonhei para você um pecado e uma mentira... Eu tenho minha liberdade mas não tenho muito tempo Fé ...foi quebrada lágrimas precisam ser choradas... Vamos fazer alguma vida depois de morrermos... Cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora selvagens... Cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora... Cavalos selvagens não conseguiriam me carregar embora selvagens, cavalos selvagens cavalgaremos neles um dia
video

Ao ser humano a...

comunicação é imprescindível. Fico a imaginar algumas pessoas sem essa aptidão. Sim, por que isto é uma aptidão gostem ou não alguns. Infelizmente, fofocas e assuntos desagradáveis também são comunicação, fica aí a dignidade de alguns em como usar essa ferramenta.
Quando começamos a elaborar os primeiros sons, nossa família começa logo a cascata de exaustivos -para eles, sendo que os bêbes não estão nem aí- "papai", "mamãe", "vovó", "vovô"...loucos para ver quem vai ser o sorteado pela 1a. palavra do rebento. E logo é ampliado nosso canal de comunicação, antes limitado somentes à esgoelamentos .
Alguns fofinhos ou fofinhas tem o azar de ter por perto humanos que teimam em ser desagradáveis, ensinando palavras de baixo calão. É tão marcante, a gente se dirigir com palavras doces a uma criança ainda na 1a. infância e ela soltar as perólas que aprendeu!! Depois para formatar esse repertório dantesco, é muito trabalhoso. A boquinha de ouro começa a ser corrigida, na base da peia após várias ameaças que "papai-do-céu" briga.
À seguir, chega a época em que a criança abre os ouvidos como um satélite recém-instalado na atmosfera. Com uma velocidade incrível, passa a captar e espalhar os sinais de comunicação -afinal, não é esta a função de um satélite? Uma fase tão deliciosa quanto constrangedora para os pais.
Não esqueçamos que faz parte do cardápio infanto-comunicatico as propagandas enganosas. Ah, aquelas mentirinhas infindáveis e sem-noção, coitadinhos!!! E de nós tambééém...Aditivadas por aqueles contos de fadas, com sua colaboração explícita da irrealidade. Ficando arraigado em nosso subsconciente pelo resto da vida, a possibilidade de cairmos nesse mundinho mágico.
Na adolescência, fica visível o poder da comunicação agora elaborada sob diversas faces. Do vestuário ao material escolar, do corte de cabelo à roupa de cama. E escandalosamente retornamos as palavras ora inexpressivas, ora inexistentes, ora inconvinientes e temperadas com aqueles hormônios saudáveis. Grrrr
Pensando que já sabemos nos comunicar(hãã!?) e crentes que somos alfabetizados, chega o tempo de cairmos no mundo da concorrência amorosa, profissional e social. Notamos então que, comunicação é muito mais que sons elaborados, palavras gravadas, conversas fiadas. Nada como se dar conta da verdade de " Quem não se comunica(ou o sabe fazer) se estrumbica".
Realmente!!
(by Angel)

sábado, 17 de outubro de 2009

Orbitando incorretamente


Já ouvi que, tudo comigo é "oito ou oitenta". Pause...
Momento neolítico: Lembro de um programa dos anos 70, no qual o apresentador era o ator Paulo Gracindo (o pai, gente!) sorteava prêmios. Achava tudo muito "classudo" e sem entender muito torcia de alguma forma, por lá sei quem. Desde que eu fosse com a cara da pessoa. Liberando o Pause...
Quero dizer, não reajo (caso faça-o, é coisa imperceptível) ou extrapolo mesmo. Cheguei numa fase atípica em um determinado momento e fiquei digamos... "oito" por bons tempos.
Ah, como estava ótimo!! Sério! Nem aí pra nada. O terremoto que rolasse e o tsunami que chegasse. E daí? Não podia mudar nada mesmo!!
Quando acontecia de ter que encarar um possível "oitenta", eu tinha logo um troço tipo: esgotamento emocional ou fuga rápida. Socorro! Parecia que a casa ia cair.
Uai! Mas tu não falaste que encarava um terremoto e o tsunami, light-light da Silva???
Eu sei. É por esse paradoxo que descobri que meu planetóide não anda com sua órbita elíptica correta. Em suma, ainda não consegui esse feito de regular a infeliz!! E nos últimos dias estou atravessando uma pequena tempestade cósmica. Durmo pouco e mal, uma fome que não desaparece, nada tá bom o suficiente e um calor que não pas-sa. Arre!!
A mammy diz que o calor é aviso da menopausa.
-Mammy? Quer calar a boca? Informativo dispensado, OKKKKK?

Ai, que fome! Vou fazer um lanchinho. Bye
(by Angel)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Papi, o jeitoso


Eu tinha uns 5 ou 6 anos quando o papi percebeu quê... meu lindo dentinho de leite, incisivo superior esquerdo estava caindo. Pronto, chegou minha vez!! Já tinha visto a técnica dele -linha mais puxão- com meu irmão mais velho.

Ok!! Lá vamos nós, !?

Linha amarrada, pânico instalado, choro iniciado e... tranquei a boca. Nem com um macaco hidráulico eu abria aquela boca!! O "véio" -que não era velho naquele tempo- usou seu habitual jeitão "Antônio Noé" Feitosa. O pai dele, sabe? Meu vozão querido. Grrrr
Nem precisa dizer que o escândalo da garotinha foi o pequeno. A vizinhança se abancou na porta, depois adentrou a cozinha e de repente... eu era a estrela maior daquele espetáculo, ou seria meu papi???

Já não bastasse aquela técnica medieval...Adivinha!?
Me aparece aquele garotinho simpático, que eu adorava ficar olhando jogar bola lá no campinho. O pai chama o tal para ver meu escândalo e eu grito "Nããããão". Oras, era só o que ele queria! Adeus, dentinho.

Chorei até dormir de magoada com meu papi malvado. !! Precisava queimar meu filme??

Alguém chama o Dimi, aí!!

Essa decisão sai hoje??

Estava na dúvida de escrever ou não outro blog. Matutei, matutei e não sosseguei enquanto não decidi.

Não! Não vou escrever outro. Mal sei administrar esse aqui, oras!!

Quando resolvi criar esse foi como uma terapia e nem sempre dava para correr ao Dimi -um dia falo quem é- amei a possibilidade de escrever coisas que penso, me identifico ou estou sentindo na hora.
Bom, então sendo assim...tenho vontade de falar sobre situações que aconteceram na minha "THE FAMILY". Não coisas ruins, sim aquelas que fico matando o povo de rir quando falo. Mas, sou totalmente contra usar o deboche como ingrediente hilário. Brincadeira somente é boa quando todos se divertem, nunca quando usamos alguém como bobo da corte.
Vou dar o nome a essa secção(nem sei ainda como fazer uma...kkkk) de "Aconteceu lá em casa". Tem coisas de tão ridículas, tornaram-se cômicas e vice-versa.
Enfim, se de repente eu casar com algum sujeito chamado Alzheimer, aos histórias ficaram registradas.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Uma lembrança trouxe outras

Hoje, fiz esse comentário no blog de uma amiga -acompanho fielmente, ela é ótima- que postou sobre o suas lembranças de infância envolvendo deliciosos banhos de chuva. Hoje "Dia das Crianças", ela ganhou um dos bons. Chegou em casa encharcadamente feliz, como nas suas lembranças infantis.


COMENTÁRIO:
"Amo, amo, amo chuva!!! Meus Deus, amo até olhar imagens ou ouvir sons de chuva. Quando criança viajava com meus irmãos e pais, todos os anos para o nordeste. Lembro do cheiro das telhas molhadas no início da chuva. E a noite??? Dormir com aquele som no telhado???? NÃO TEM PREÇO.
Infelizmente, não tomo mais banho de chuva desde meus 26 anos…Ihh, é uma história triste!! E não vou estragar minhas boas lembranças, com as ruins. Mas, posso deixar molhar meu rosto e sentir a chuva ao menos em minhas mãos. Ainda posso ouvir o som da chuva e sentir seu cheiro umedecendo os telhados, as plantas, a terra…
Saudade pode até não ter cheiro, mas lembrança!?"



Mas, agora escrevendo este texto, o pensamento voa veloz até aqueles tempos...Vejo e ouço tudo. Sinto a presença dos meus avós e minha tia-avó. Só os via uma vez ao ano, em Dezembro. É impossível não chorar, não sentir falta de muito mais do que apenas a chuva.

Acho que é por isso que dizem que o amor transcende a morte.
(by Angel)

sábado, 10 de outubro de 2009

Novos amigos

Hoje duas pessoas desconhecidas se encontraram

Em um encruzilhada na estrada de suas vidas

Sorriram um para o outro... falaram um pouco de si e outras coisas

Se despediram, com a promessa de tornar a se encontrarem. (by Angel)

Que peso, meu Deus!!!

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão... A medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho, por pensar que são importantes.
A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas, pesa demais, então você pode escolher: ficar sentado a beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil, pois todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem.Você pode ficar a vida inteira esperando ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas, o que tirar ?

Você começa tirando tudo para fora... veja o que tem dentro: Amor, Amizade...nossa ! Tem bastante, curioso, não pesa nada... Tem algo pesado.... você faz força para tirar.... era a Raiva - como ela pesa!
Aí você começa a tirar, tirar e aparecem a Incompreensão, Medo, Pessimismo... nesse momento, o Desânimo quase te puxa pra dentro da mala .... Mas você puxa-o para fora com toda a força, e no fundo da mala aparece um Sorriso, que estava sufocado no fundo da sua bagagem....Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a Felicidade...
Então você coloca as mãos dentro da mala de novo tira pra fora um monte de Tristeza...Agora, você vai ter que procurar a Paciência dentro da mala, pois vai precisar bastante....Procure então o resto: a Força, Esperança, Coragem, Entusiasmo, Equilíbrio, Responsabilidade, Tolerância...
Ah!! O Bom e Velho Humor. Tire a Preocupação também. Deixe de lado, depois você pensa o que fazer com ela...
Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo. Mas, pense bem o que vai colocar dentro da mala de novo, hein? Agora é com você. E não se esqueça de fazer essa arrumação mais vezes, pois o caminho é MUITO, MUITO LONGO, e sua bagagem, poderá pesar novamente.
Bye, bye... boa viagem, héin??

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Vivo sem máscaras

Meus valores são outros, e estes não são supérfluos como vaidades ou aparências.
São sou adepta do "viva o luxo e morra o bucho".
São sou do grupo "come sardinha e sai arrôtando caviar".
Nem chique e bela ao extremo, mas suando burrice.
Eu não convivo bem com pessoas assim, que na verdade...
devem a Deus e ao mundo para dar satisfações ou mostrar status.
Vivem uma vida falsa de grifes, passeios, bens de consumo e nunca tem paz.
Sempre preocupados com o julgamento materialista de alguns.
Tô fora!! Não existe corticóide que resolva minha alergia a isso tudo.
(by Angel)

Concordo plenamente

"Há pessoas que querem ser bonitas para chamar atenção
Outras desejam a inteligência para serem admiradas
Mas há algumas que procuram cultivar a alma e os sentimentos
Essas alcançam o carinho de todos, porque além de belas e inteligentes
tornam-se realmente pessoas"

TEMOS TODOS UMA OU MAIS HISTÓRIAS DE DORES PROFUNDAS, ALGUMAS DESSAS DORES NUNCA NOS DEIXAM. TOMAMOS ANALGÉSICOS PARA AS DORES FISÍCAS, MAS SOMENTE O AMOR ALIVIA AS DORES DA ALMA. ESTE AMOR, DEUS NOS ENVIA DAS MAIS DIVERSAS FORMAS UM AMIGO, UM ANIMALZINHO, UM PARENTE, UMA PESSOA GENTIL ,UMA NOTÍCIA BOA, UMA CAFÉ QUENTINHO, UMA MSG DISTANTE...

E VAMOS RESISTINDO...ORA SENTADOS, ORA DEITADOS, ORA CAMINHANDO.

NUNCA NOS ESQUEÇAMOS QUE ESSE CARINHO E FORÇA DE DEUS NOS CHEGA A QUALQUER MOMENTO, DA FORMA COMO ELE CONSIDERA SER DE MELHOR AJUDA PARA NOSSAS ALMAS. (by Angel)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Confissões de um anjo imperfeito

Amo doces e chocolates. Não sou fã de carne. Sonho ser vegetariana um dia.
Adoro rir, ler, estudar, conversar. Não consigo satisfazer essa fome por conhecimento. Sinto-me por vezes uma viciada, por causa disto. Saber o porque das coisas. Conhecer vidas com história, não a vida alheia.
Não tolero sujeira ou desorganização. Tenho alergia a intolerância, ignorantes ou imbecis.
Tenho a capacidade de adormecer em qualquer lado. Praia é para caminhar, tomar banho e ficar longe do sol. Ter a cabeça à sombra e o corpo ao sol? Eu não.
Adoro uma boa noite de sono e um bom amanhecer. Sou a rainha dos soluços únicos. Das tristezas ocultas em um baú. Frustrada por jamais ter aprendido violino, mas já me conformei. Foi o jeito!
Estar calada? Sou incapaz. Se não falo, algo não anda bem comigo ou estou no meu mundo. Olho sempre o relógio, preciso me localizar no tempo.
Deliro por montanhas, trilhas entre as árvores, canto dos pássaros, som de águas. Adoro sentir a chuva no rosto, entre meus dedos.
Aprendi muito tarde a fazer uso da palavra "não". Dificilmente me arrependo do que falo. Aceito colaboração, não critícas venenosas.
Tenho paixão por artes, não importa qual área ou em quê. Cada pessoa tem um nome para mim e respondo a todos. Não sou enciclopédia, anseio que esqueçam esse esterótipo.
Sou um poço de insegurança, mas pareço uma torre de granito. Acredite, desafios me assustam. Nem sempre gosto de surpresas. Odeio mudar de casa. Desmontar e montar tudo. Gosto mesmo de uma boa e previsível rotina. E daí?
Considero indiferente fazer anos ou festas. Também comemorar outras datas banais que são puro comércio.
Solidão não me assusta... Envelhecer também não. Mas tenho horror a subserviência e dependência emocional. Não vivo sem paz, não vivo sem carinho, não vivo sem afeto. Embora sempre os ofereça mais que os receba.
Nada se compara a ter paz de espírito, acordar sem remorsos... Olhar atrás e ter consciência que fez o melhor sempre que possível. Percebeu como um anjo pode ser difícil??
(by Angel)

sábado, 3 de outubro de 2009

DIVIDINDO EXPERIÊNCIAS


EMBORA, SOMENTE A VIDA E O TEMPO NOS FAÇA ENXERGAR AS COISAS COMO DEVEM SER. SEMPRE É BOM UMA AJUDINHA.
TAMBÉM JÁ AMEI MUITO. AO PONTO DE PENSAR QUE SEM O OUTRO MINHA VIDA Ñ TINHA SENTIDO. HOJE SEI QUE O OUTRO CHEGA PARA ACRESCENTAR E NÃO NOS SENTIMOS VAZIAS, QUANDO ELE NÃO ESTÁ PRÓXIMO.
SEJA POR UMA DIA, UMA SEMANA, OU UM MÊS...SENTIMOS FALTA SIM DE TODO MUNDO, NAMORADO, AMIGOS, PARENTES OU ATÉ UM BICHINHO DE ESTIMAÇÃO
MAS EU SOU UMA PESSOA INTEIRA... NÃO UM VÁCUO PRECISANDO DE CONTEÚDO. É IMATURO ESSE PENSAMENTO QUE UM AMOR SÓ É VERDADEIRO QUANDO NOS ANULAMOS EM FUNÇÃO DELE OU, USANDO OS TERMOS ROMÂNTICOS "VIVENDO POR AMOR A ELE"...
AMOR PASSA SEGURANÇA. NÃO COM VOCABULÁRIO BONITO, PRESENTES OU PROJETOS, ISSO QUALQUER PESSOA FAZ PARA CONSEGUIR UMA PROMOÇÃO. NUNCA VISTA UM PERSONAGEM QUE VOCE NÃO É. ISSO NÃO DÁ BONS RESULTADOS, POSSO TE AFIRMAR.
QUALIDADES OU DEFEITOS TODOS TEMOS. QUEM QUER PERFEIÇÃO??? ESTA É UMA BUSCA INFINDÁVEL E SEM SUCESSO. AQUI NÃO VAI ENCONTRAR NUNCA!!
CORRIJA OU DOMINE SEUS DEFEITOS, MANTENHA SUA VIRTUDES OU DESENVOLVA ALGUMAS. ENTRETANTO, APRENDA A NÃO SUFOCAR NINGUÉM COM SEUS DEFEITOS OU VIRTUDES.
QUEM DERA FOSSE POSSÍVEL, UNIR A SABEDORIA GANHA COM AS EXPERIÊNCIAS VIVIDAS E A ENERGIA DA JUVENTUDE. (by Angel)